Pular para o conteúdo da página
Brasão da PUC-Rio

Bolsas

 


Bolsas de Desempenho Acadêmico

Portaria n° 15/2017

Estabelece novos critérios para a concessão de bolsas de desempenho acadêmico para os alunos da PUC-Rio.

O Reitor da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, no uso de suas atribuições, CONSIDERANDO que a Universidade decidiu adotar novos critérios para a concessão de bolsas de desempenho acadêmico aos alunos que obtiverem as primeiras classificações no processo seletivo anual para o ingresso nos cursos de graduação, como incentivo à sua permanência na PUC-Rio;

RESOLVE:

Art.1º – A PUC-Rio poderá conceder, anualmente, bolsas de desempenho acadêmico aos alunos que obtiverem as primeiras classificações no processo seletivo adotado a cada ano (via Vestibular e/ou via ENEM), para o ingresso nos cursos de graduação, e efetuarem matrícula.

Parágrafo único – O Vice-Reitor para Assuntos Acadêmicos fixará anualmente os critérios e os números de bolsas a serem distribuídas por grupo, que serão publicados no edital de cada processo seletivo.

Art. 2º – A bolsa de desempenho acadêmico se constitui numa liberalidade da PUC-Rio, sendo concedida por prazo certo e observadas as normas e condições do presente instrumento.

Art. 3º – A bolsa de desempenho acadêmico consistirá no pagamento do curso do aluno, a partir de sua concessão, sendo incluídos os períodos extraordinários.

§1º – O aluno bolsista deverá concluir o curso no prazo máximo igual à duração média do curso prevista pela PUC-Rio.

§2º – O aluno bolsista que desejar cursar uma segunda habilitação terá direito à prorrogação de dois (02) períodos letivos de bolsa.

Art. 4º – Não terá direito à bolsa de desempenho acadêmico o candidato que:

§1º – Tenha sido aluno bolsista da PUC-Rio.

§2º – Deixar de efetuar a matrícula inicial na PUC-Rio, na data de sua convocação, de acordo com o estabelecido no edital do processo seletivo.

Art. 5º – O aluno bolsista deverá matricular-se, a cada período letivo, em pelo menos 20 créditos.

Parágrafo único – Os casos em que o aluno não puder cursar 20 créditos por período letivo serão julgados pela Vice-Reitoria para Assuntos Acadêmicos.

Art. 6º – O bolsista que se vir obrigado a cancelar qualquer das disciplinas em que estiver matriculado, só poderá fazê-lo com prévia autorização da Vice-Reitoria para Assuntos Acadêmicos, devendo permanecer matriculado em pelo menos 20 créditos, sob a pena de perder sua bolsa.

Art. 7º – O bolsista que se vir obrigado a trancar matrícula deverá, antes de efetivar o trancamento, pleitear, junto à Vice-Reitoria para Assuntos Acadêmicos, a manutenção da bolsa após a reabertura da matrícula.

§1º – Durante o período em que o bolsista permanecer com matrícula trancada a bolsa não poderá ser transferida para outro aluno.

§2º – Quando o aluno reabrir sua matrícula a bolsa será retomada automaticamente.

Art. 8º – Perderá a bolsa de desempenho acadêmico o aluno que:

§1º – Trancar matrícula ou cancelar disciplina(s) sem a prévia autorização da Vice-Reitoria para Assuntos Acadêmicos;

§2º – Obtiver CR (Coeficiente de Rendimento) médio, nos dois últimos períodos letivos, inferior à média dos CR´s dos alunos de seu curso, calculada sobre os CR´s dos dois últimos períodos letivos. Para este cálculo será utilizado o CR padronizado;

§3º – Não concluir o curso no prazo máximo igual à duração média do curso prevista pela Universidade;

§4º – For concedida transferência de curso que implique em mudança de grupo estabelecido no processo seletivo;

§5º – Estender seu trancamento de matrícula por período superior a um (01) período letivo, sem prévia autorização da Vice-Reitoria Acadêmica;

§6º – Estender sua permanência fora da Universidade por mais de dois (02) períodos letivos, quando estiver participando de programa de intercâmbio internacional.

Art. 9º – Além das bolsas de desempenho acadêmico, serão concedidas, anualmente, bolsas pró-licenciatura, aos alunos que obtiverem as primeiras classificações no processo seletivo adotado a cada ano (via Vestibular e/ou via ENEM), para o ingresso nos cursos de licenciatura.

Parágrafo único – As bolsas pró-licenciatura serão distribuídas entre os cursos de licenciatura de acordo com as normas a serem estabelecidas pelo Vice-Reitor para Assuntos Acadêmicos.

Art. 10º – A PUC-Rio se reserva o direito de, a qualquer momento, alterar os critérios para concessão e manutenção das bolsas de desempenho acadêmico e das bolsas pró-licenciatura.

Art. 11º – A presente Portaria entra em vigor a partir de sua publicação, revogada a Portaria 81/2005.

Rio de Janeiro, 22 de junho de 2017.
Pe. Josafá Carlos de Siqueira, S.J.
Reitor


INSTRUÇÃO ESPECIAL – 01/2018

Fixa os critérios e o número de bolsas de desempenho acadêmico a serem concedidas aos alunos que deverão ingressar na PUC-Rio no Processo Seletivo de 2019.
O Vice-Reitor para Assuntos Acadêmicos, no uso das atribuições que lhe confere o inciso XI do artigo 6° do Regimento da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro,
CONSIDERANDO o que dispõe o parágrafo único do art. 1º da Portaria 15/2017,
CONSIDERANDO a necessidade de estabelecer os critérios e o número de bolsas de desempenho acadêmico a serem concedidas para o ano de 2019,
RESOLVE:
Art. 1º – As bolsas serão distribuídas de acordo com o grupo de opção do aluno, como segue:

GRUPO I
GRUPO II
GRUPO III
GRUPO IV
GRUPO V

Art. 2° – Os casos não previstos no presente instrumento serão resolvidos pelo Vice-Reitor para Assuntos Acadêmicos.
Art. 3° – A presente Instrução Especial entra em vigor na data da sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Rio de Janeiro, 26 de junho de 2018.
Prof. José Ricardo Bergmann
Vice-Reitor para Assuntos Acadêmicos


Bolsas Pró-licenciatura

Instrução Especial – 02/2018

Fixa os critérios para a concessão das bolsas pró-licenciatura.

O Vice-Reitor para Assuntos Acadêmicos, no uso das atribuições que lhe confere o inciso XI do artigo 6° do Regimento da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro,
CONSIDERANDO que o artigo 09 da Portaria 15/2017 estabelece que serão concedidas anualmente bolsas pró-licenciatura;

RESOLVE:

Art. 1° – As bolsas pró-licenciatura serão distribuídas, anualmente, para alunos que obtiverem as primeiras classificações no processo seletivo adotado a cada ano (via Vestibular e/ou via ENEM), para o ingresso nos cursos de licenciatura, e efetuarem matrícula.

Art. 2º – Serão distribuídas oito (08) bolsas pró-licenciatura por departamento, integrais de 100%, sendo quatro (04) bolsas para os candidatos classificados até o 10º lugar no Vestibular dentre os candidatos classificados para os cursos de licenciatura e quatro (04) bolsas para os candidatos classificados até o 10º lugar no ENEM dentre os candidatos classificados para os cursos de licenciatura.

Parágrafo único – Quando não houver alunos que atendam as normas estabelecidas para a concessão da bolsa para uma forma de ingresso, as bolsas poderão ser concedidas para a outra forma de ingresso ou para outro curso de licenciatura dentre os cursos relacionados no presente ato normativo.

Art. 3º – As bolsas pró-licenciatura serão concedidas aos alunos dos seguintes departamentos: Biologia, Ciências Sociais, Educação, Filosofia, Geografia, História e Letras.

Art. 4º – Caberá ao aluno bolsista optar, caso seja contemplado com outra modalidade de apoio, pela modalidade que melhor lhe aprouver.

Art. 5º – Não terá direito à bolsa pró-licenciatura o candidato que:

§1º – Tenha sido aluno bolsista da PUC-Rio.

§2º – Deixar de efetuar a matrícula inicial na PUC-Rio, na data de sua convocação, de acordo com o estabelecido no edital do processo seletivo.

Art. 6º – O aluno ao qual for concedida transferência de curso e/ou habilitação perderá o direito a bolsa pró-licenciatura.

Art. 7º – O aluno bolsista terá como orientador acadêmico o coordenador do curso de licenciatura ao qual estiver vinculado.

Art. 8º – O aluno bolsista deverá matricular-se, a cada período letivo, em pelo menos 20 créditos.

Parágrafo único – Os casos em que o aluno não puder cursar 20 créditos por período letivo serão julgados pela Vice-Reitoria para Assuntos Acadêmicos.

Art. 9º – O bolsista que se vir obrigado a cancelar qualquer das disciplinas em que estiver matriculado só poderá fazê-lo desde que permaneça matriculado em pelo menos 20 créditos. Caso contrário, deverá solicitar prévia autorização do orientador acadêmico do seu curso.

Art. 10º – O bolsista que se vir obrigado a trancar matrícula deverá, antes de efetivar o trancamento, pleitear, junto à Vice-Reitoria para Assuntos Acadêmicos, a manutenção da bolsa após a reabertura da matrícula.

§1º – Durante o período em que o bolsista permanecer com matrícula trancada a bolsa não poderá ser transferida para outro aluno.

§2º – Quando o aluno reabrir sua matrícula a bolsa será retomada automaticamente.

Art. 11º – Perderá a bolsa pró-licenciatura o aluno que:

§1º – Trancar matrícula sem a prévia autorização da Vice-Reitoria para Assuntos Acadêmicos.

§2º – Não obtiver aprovação em 75% das disciplinas nas quais tiver se matriculado em cada período letivo.

§3º – Estender seu trancamento de matrícula por período superior a dois (02) períodos letivos.

§4º – Estender sua permanência fora da Universidade por mais de dois (02) períodos letivos, quando estiver participando de programa de intercâmbio internacional.

Art. 12º – Os casos não previstos no presente instrumento serão resolvidos pelo  Coordenador Central de Graduação.

Art. 13º – A presente Instrução Especial entra em vigor na data da sua publicação, revogadas quaisquer outras disposições em contrário.

Rio de Janeiro, 26 de junho de 2018.
Prof. Jose Ricardo Bergmann
Vice-Reitor para Assuntos Acadêmicos


Bolsas Decorrentes de Convenções Trabalhistas

Bolsas decorrentes de Convenções Trabalhistas serão concedidas por intermédio da Vice-Reitoria para Assuntos Comunitários (VRC) contemplando os alunos classificados via Vestibular 2019 e via ENEM 2018.


Bolsas Oferecidas Considerando Critérios Socioeconômicos

No âmbito do programa institucional de bolsas de estudo, a PUC-Rio, por meio da Vice-Reitoria para Assuntos Comunitários (VRC), poderá conceder bolsas tipo FILANTRÓPICA, integrais (100%), aos candidatos com renda familiar mensal per capita até um salário mínimo e meio, ou parciais (50%), aos candidatos com renda familiar mensal per capita até três salários mínimos. Ainda poderão ser concedidas bolsas tipo PUC, parciais, com o propósito de atender a candidatos de classe média, desde que estejam dentro dos critérios socioeconômicos estabelecidos pela Universidade para a concessão desse auxílio.

Não serão concedidas bolsas aos candidatos que, no momento do Processo Seletivo, estejam cursando graduação em outra Instituição de Ensino Superior e/ou forem portadores de diploma de curso superior.

O quantitativo da concessão das bolsas tipo PUC e FILANTRÓPICA estará condicionado à disponibilidade orçamentária da Universidade na ocasião da matrícula.

Os alunos, para solicitá-las, deverão seguir as instruções que serão publicadas no site da Universidade (http://www.puc-rio.br/sobrepuc/admin/vrc/bolsas_solicitacao.html)  à época da matrícula, observando atentamente os prazos estabelecidos.


Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior

Excepcionalmente, a PUC-Rio não abrirá vaga para o FIES (Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior) em 2019.